Acessibilidade 5 Alto contraste 6

  • ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

  • ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

Notícias

AMMVI avalia cenários para retomada das aulas presenciais

COVID-19 - Publicado em 30/11/2020 às 13:59 - Atualizado em 30/11/2020 às 13:59

Prefeitos e secretários municipais de Saúde se reuniram, nesta quinta-feira (26), para avaliar novas medidas de enfrentamento à Covid-19 na região do Médio Vale do Itajaí. No encontro virtual, educação e saúde estavam entre as pautas principais.

Na ocasião, os prefeitos avaliaram alternativas que possibilitem o retorno das aulas presenciais nos primeiros meses de 2021. “Ainda não temos calendário do próximo ano letivo estabelecido nos municípios já que a evolução da pandemia gera incertezas, porém os municípios têm o planejamento elaborado para permitir que o retorno ocorra com segurança e respeito às normas sanitárias”, disse Matias Kohler, presidente da AMMVI e prefeito de Guabiruba.

Conforme Plauto Mendes, assessor do Colegiado de Educação da Associação, os secretários municipais estão discutindo e analisando os cenários de retorno das aulas presenciais com cautela e prudência. As Secretarias Municipais de Educação já prepararam as equipes, elaboraram os respectivos planos de contingência e também fizeram o diagnóstico da situação dos alunos e permissão dos pais sobre retorno das aulas.

“Uma pesquisa feita nos municípios catarinenses aponta que 72% das aulas presenciais não retornam este ano. Mas, mesmo assim, o ano letivo está sendo cumprido de forma virtual e a assistência está sendo dada aos alunos”, destaca Mendes. Segundo ele, para 2021, 24% dos municípios já sinalizaram que tentarão voltar com as aulas presenciais na segunda semana de fevereiro. Dado este que pode ser alterado conforme evolução da pandemia do novo coronavírus.

Na saúde pública, os prefeitos avaliaram os dados da última semana epidemiológica, em que a região teve significativo aumento de casos positivos e óbitos relacionados à Covid-19. A divulgação do nova classificação, em que a região retornou para o nível gravíssimo na Matriz de Risco Potencial, a necessidade de novas restrições determinadas pelo Governo do Estado e a habilitação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ratificaram a preocupação dos gestores municipais. Diante deste cenário, os municípios devem reforçar a fiscalização dos regramentos, como também mobilizar a população para o cumprimento das orientações de prevenção ao contágio do vírus.

“O momento exige atenção, cuidado e união. Cada qual cuidando de si e seguindo as orientações amplamente divulgadas há meses, será possível preservarmos vidas e permitir a retomada das atividades econômicas”, alerta o presidente da AMMVI.

Hospitais

Na próxima semana, os gestores municipais devem se reunir com os hospitais da região para reunir demandas e diagnóstico da situação dos leitos direcionados para atendimento à Covid-19. A Comissão de Governança para Combate e Enfrentamento à Pandemia no Médio Vale tem buscado a manutenção dos leitos de UTI criados ao longo da pandemia e custeio dos serviços e centros de triagem.

Michele Prada, Ascom AMMVI.


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar